Posts Tagged 'Oz: Mágico e Poderoso Resenha'

Oz: Mágico e Poderoso (Oz the Great and Powerful)

Oz: Mágico e Poderoso, de Sam Raimi,
traz um mundo visualmente hipnótico

Com uma bela introdução à la O Mágico de Oz, inicia-se Oz: Mágico e Poderoso (Oz the Great and Powerful, 2013), que estreia nesta sexta-feira em todo o país em versões 2D e 3D – esta, espetacular. Mas o que, realmente, inebria no novo filme do diretor Sam Raimi é o universo que seu protagonista encontra lá pelos quinze minutos de projeção.

Oscar (James Franco) é um ilusionista charlatão que ganha a vida enganando um modesto público num espetáculo circense fuleiro. Sonha, porém, em se tornar um grande mágico, capaz de realizar grandes feitos. No meio de uma tempestade, é transportado num balão para a Terra de Oz. Quando chega lá, descobre – junto com o espectador – um mundo hipnotizante, de cores fortes, criaturas exóticas e paisagens idílicas.

Encontra também uma bruxa que se diz cheia de boas intenções, a bela Theodora (Mila Kunis). Tão boas quanto as de sua irmã Evanora (Rachel Weisz), outra feiticeira, que lança uma missão ao jovem mágico: matar a bruxa má que assombra a Terra de Oz. Em troca disso, Oscar ocupará o trono do local e terá riquezas vitalícias. Nem tudo, entretanto, é o que parece nesse acordo: Glinda (Michelle Williams, a melhor do ótimo elenco), a tal criatura maléfica, não passa de uma guardiã do lugar; e Oscar, que ninguém ouse saber, não passa de um impostor egocêntrico e interesseiro.

Vivaz e deslumbrante, Oz é um filme para ver duas vezes. Na primeira, com os olhos: depois de levado pelo furacão, cada novo plano é uma descoberta ao protagonista e ao público – são câmeras que exploram sem medo a vasta localidade, efeitos especiais dos mais bem acabados e uma direção de arte de tirar o fôlego. Na segunda vez, com o coração: pelo caminho, Oscar vai levar consigo ajudantes cruciais no desenrolar da história, um macaquinho alado (que se torna sua consciência) e uma boneca de porcelana – duas preciosidades da computação gráfica e da concepção de personagens.

Adaptado de um dos livros da série escrita pelo americano L. Frank Baum, Oz: Mágico e Poderoso pode decepcionar quem procura por um leão covarde, um espantalho sem cérebro e um homem de lata enferrujado. E aqueles que esperam ser atingidos por melodias cativantes, então, ficarão frustrados.

O grande poder do filme se revela no mundo recriado por Raimi, e também na desconstrução de seu protagonista. O percurso é verdadeiramente notável. Tanto que Oscar, depois de por ele passar, aprende que melhor do que ser um mago poderoso é ser um homem bom – e que os frutos provindos desse estado de espírito são muito mais compensadores.

Angelo Capontes Jr.


Categorias

RSS Sintoniza

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

RSS Veja Cinema

  • Os Mercenários 3
    Isabela Boscov fala sobre “Os Mercenários 3″, dirigido por Patrick Hughes. Não só de fortões do cinema de ação sobrevive o novo filme da franquia: Mel Gibson, ótimo no papel, dá convicção a um longa que não merece convicção nenhuma.
    fmonteclaro
  • Malévola
    Isabela Boscov fala sobre ‘Malévola’, de Robert Stromberg. O novo filme conta a clássica história de A Bela Adormecida do ponto de vista da vilã, vivida por Angelina Jolie. Com: Angelina Jolie, Elle Fanning e Sharlto Copley.
    rhoshino
  • Godzilla
    Isabela Boscov fala sobre “Godzilla”, dirigido por Gareth Edwards. Ford Brody (Aaron Taylor-Johnson) é soldado do exército e precisa lutar para salvar a população mundial do gigantesco monstro. Renascimento de Godzilla, da Toho, com Elizabeth Olsen, Bryan Cranston, Aaron Taylor-Johnson e Juliette Binoche.
    rhoshino
Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.